30.3 C
Manaus
sexta-feira, dezembro 1, 2023
Publicidade
InicioAgenda CulturalMinidocumentário amazonense gravado nos municípios de Nhamundá e Parintins é lançado nesta...

Compartilhar

Minidocumentário amazonense gravado nos municípios de Nhamundá e Parintins é lançado nesta quinta-feira

A obra retrata a memória cultural e afetiva dessas cidades

Descentralizar a arte urbana das capitais, fortalecer os diálogos que possibilitem um lugar de resistência e memória cultural em diversos municípios do Amazonas. É assim que chega às plataformas digitais o minidocumentário “Afetos Públicos”, lançado nesta quinta-feira (15/12), na página oficial do projeto, no endereço: https://www.instagram.com/p/CXMLH55rdBq/.

Gravado nos municípios de Nhamundá e Parintins, a iniciativa realizou uma vivência de quatro dias em cada cidade, com foco na produção de registros e criação de lambes voltados à memória familiar e territorial dos participantes. As oficinas resultaram em intervenções urbanas, produzidas pelos participantes, e na produção do curta-metragem.

“Afetos Públicos” é idealizado e executado pela multiartista Kerolayne Kemblim, com o apoio da produtora cultural Francine Marie e do fotógrafo e videomaker João Pedro Baraúna.

“As desigualdade sociais no Amazonas são decorrentes dos processos históricos de um país colonial, de um continente que foi o último a abolir a escravidão, logo, isso deixa marcas e este projeto vem com o objetivo de enaltecer a cultura nortista e, claro, evidenciar os aspectos identitários presentes no cotidiano amazônico por meio das expressões estéticas e artísticas”, explicou a idealizadora, Kerolayne Kemblim.

Ainda de acordo com a artista, as atividades buscaram tornar acessíveis as vivências afetivas e artísticas para a população de cidades mais afastadas da capital, em locais de fácil acesso à comunidade em geral:

“O não lugar que é fomentado pelo padrão tira nosso poder de existência, e esse projeto tem como objetivo reivindicar a presença de pessoas negras e indígenas amazônidas, instigando o público a questionar o processo identitário evidenciado pelas vivências por meio das suas próprias histórias e dos aspectos simbólicos da memória cultural, enfatizando seu papel na construção da identidade e buscando ressignificar os estereótipos de suas presenças no imaginário amazônico” finaliza Kerolayne Kemblim.

“Afetos Públicos” foi contemplado na Lei Aldir Blanc – Prêmio Encontro das Artes, da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas.

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...