27.3 C
Manaus
sexta-feira, março 1, 2024
Publicidade
InicioAgenda CulturalTeatro Amazonas inicia a série Rio Negro Concertos Sinfônicos

Compartilhar

Teatro Amazonas inicia a série Rio Negro Concertos Sinfônicos

A fila na lateral do Teatro Amazonas indicava que a abertura da “Série Rio Negro Concertos Sinfônicos” seria um sucesso de público. Na véspera do feriado da independência do Brasil, dia (6) de setembro, às 20h, o espetáculo gratuito deu início à primeira edição que contempla quatro concertos e três palestras musicais em escolas públicas de Manaus.

“O teatro lotado mostra que o povo tem fome e sede de cultura, de música. Pra nós, é sempre uma surpresa agradável saber que a casa está cheia”, comentou o maestro Rubens Souza, diretor artístico da série, ressaltando que o projeto pretende dar novas opções à população da capital amazonense e fomentar a cultura local.

Romeu e Julieta

A obra de 1880 “Abertura Fantasia – Romeu e Julieta” do compositor russo Tchaikovsky, abriu o espetáculo com sua melodia apaixonante. Durante a apresentação, a obra cresceu na carga dramática, chegando aos efeitos de explosão nos trechos carregados de emoções. A obra baseada na peça de William Shakespeare, foi o primeiro sucesso internacional de Tchaikovsky. O concerto encerrou com a sinfonia Nº. 9, conhecida popularmente como Sinfonia do Novo Mundo, do compositor tcheco Antonín Dvořák.

A estudante Ana Beatriz Rodrigues, de 17 anos, entrou pela primeira vez no Teatro Amazonas para assistir o espetáculo. “Nunca tive a oportunidade de entrar no Teatro Amazonas, nunca havia assistido um concerto. Eu estou maravilhada, parece que estou num filme da Disney”, disse a estudante.

O empresário Jerry Dias achou importante a estreia da “Sério Rio Negro” para o fomento da Cultura no Amazonas. “É preciso ter novos projetos como esse, mais e mais. Eu pretendo acompanhar os espetáculos desta série de concertos sinfônicos até dezembro, não vou perder”, afirmou o empresário.

Pró Cultura do Amazonas

A Orquestra Pró Cultura do Amazonas esteve à frente da execução do primeiro espetáculo. Atualmente, o grupo possui uma configuração com 50 componentes.

A criação oficial da Orquestra Pró Cultura do Amazonas ocorreu em 2019, tendo o maestro Rubens Claudio de Souza, como o diretor artístico e regente titular dos instrumentistas. O grupo nasceu com o intuito de criar oportunidades aos novos músicos em início de carreira, com a participação de músicos renomados.

O violinista Giovanny Conte é um exemplo. Fruto da política cultural pública no Amazonas, o músico aprimorou a formação na Academia Nacional de Música da Bulgária, se apresentando em diversos países. Giovanny faz parte da Amazonas Filarmônica, da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) e agora, da Pró Cultura do Amazonas. “A produção cultural do Amazonas reconhecida mundialmente, tem crescido muito nos últimos 20 anos, e por causa disso, surge hoje a Orquestra Pró Cultura que é fruto desse trabalho, para agregar à capital amazonense, à população, mais um produto de qualidade”, ressaltou o violinista, acrescentando que o projeto visa dar oportunidades aos jovens, que querem se profissionalizar, com o apoio de músicos com carreiras consolidadas no Amazonas.

Transmissão ao vivo

Quem não pode ir ao Teatro Amazonas, foi possível acompanhar a “Série Rio Negro” com transmissão ao vivo pelo Sistema Encontro das Águas, TV aberta 2.1, NET 513 e ainda com transmissão pelo Facebook e Youtube.

“Nós temos o maior prazer de levar essa cobertura para todos os municípios que possuem o nosso sinal, 38 municípios, além da nossa capital Manaus, com matérias nacionais para a TV Brasil e também ficar como registro histórico dentro do acervo cultural da TV Encontro das Águas”, relatou a diretora de produção, Elis Marinheiro.

Série Rio Negro

O programa é composto de quatro concertos gratuitos e três palestras musicais em escolas públicas da capital amazonense. A abertura ocorreu na véspera da independência do Brasil, dia (6) de setembro, às 20h, no Teatro Amazonas. Os próximos dois concertos estão marcados no novo Teatro ICBEU, nos dias (21) de outubro e (18) de novembro, às 20h. O encerramento da primeira temporada da Série Rio Negro no Teatro Amazonas, está marcado para o dia (28) de dezembro, com o concerto de fim de ano.

Incentivo à Cultura

O projeto “Série Rio Negro” é realizado através da “Lei de Incentivo à Cultura”, Ministério da Cultura, com o patrocínio master da ATEM Distribuidora. Nesta primeira noite, a ATEM proporcionou um momento para ficar na memória e registrado em fotos. A patrocinadora colocou uma cabine fotográfica na entrada do hall do Teatro Amazonas, e quem foi ao espetáculo, ganhou essa surpresa.

A gerente de Comunicação e Marketing da Distribuidora Atem, Monique Lasmar, se emocionou com a apresentação. “É um orgulho muito grande para a Atem poder patrocinar eventos grandiosos como este e que precisam de mais empresas dando apoio. Fizemos questão de trazer nossos colaboradores para prestigiar a apresentação e saíram todos elogiando e, melhor ainda, sentindo-se parte do projeto”, comentou.

O patrocínio cultural é do Instituto Cultural Brasil – Estados Unidos (ICBEU-Manaus). Além do patrocínio, o ICBEU é parceiro do projeto, a Pró Cultura do Amazonas é uma orquestra residente do Instituto. O presidente do ICBEU Luís Fabian Pereira Barbosa falou do orgulho dessa parceria. “Em breve nós vamos inaugurar o novo Teatro ICBEU. É uma honra podermos anunciar à sociedade que teremos uma orquestra residente. Esse projeto deve permanecer por muitos e muitos anos”, disse o presidente.

A Série Rio Negro tem apoio cultural da TV Encontro das Águas, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, do Governo do Amazonas e do Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (CAUA). A realização é da Procult/Guerra Produções Culturais. Entre os principais objetivos: promover acesso à cultura; inclusão social e oportunidade de emprego e renda em Manaus.

A primeira temporada tem a regência e a direção artística do maestro Rubens Claudio de Souza e ainda a direção de produção do maestro Ezequias Guerra.

“Nós sentimos que a plateia bateu o coração sincronizado com o nosso, com a orquestra, com a Série Rio Negro, com o mesmo sentimento, com a mesma emoção, foi surpreendente. Estávamos preocupados devido ao feriado, muita gente deixa a cidade, além disso, a cidade proporcionou vários eventos, mas mesmo assim, começamos a temporada com sucesso de crítica e público”, finalizou o maestro Ezequias Guerra.

Fonte: Assessoria

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...