27.3 C
Manaus
domingo, abril 14, 2024
Publicidade
InicioAgenda CulturalTeatro da Instalação apresenta espetáculo "Ouve de Natal"

Compartilhar

Teatro da Instalação apresenta espetáculo “Ouve de Natal”

Neste domingo (17/12), a partir das 19h, o Ateliê 23 apresenta o projeto “Ouve de Natal”, no Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, no Centro), com acesso gratuito. O musical compõe a programação do Mundo Encantado do Natal, promovido pelo Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. A classificação é 14 anos.

Segundo Eric Lima, que divide a direção da companhia com Taciano Soares, o “Ouve de Natal” traz no repertório músicas de espetáculos como “Cabaré Chinelo”, “Helena”, “Da Silva”, “A Mulher que Desaprendeu a Dançar”, dos curtas “Ensaio de Despedida” e “A Bela é Poc”, e canções natalinas.

“O projeto vai apresentar os planos do Ateliê 23 para o ano que vem, com músicas de trabalhos que vão voltar e também de estreias, que é o caso de ‘Sebastião’. Para 2024, nossa programação está muito recheada e esse show tem gostinho do que vem pela frente”, adianta o artista.

Eric Lima define o musical como uma festa de encerramento do ano em que o grupo celebrou dez anos de atuação no teatro amazonense e de agradecimento para o público.

“Vai ser uma festa de gratidão pelo ano maravilhoso que tivemos, de recepção, do contato com o público e para abrir os caminhos em 2024”, comenta o ator e compositor do Ateliê 23.

Além de Eric Lima, que assina também a direção do musical, os vocais contam com Vivian Oliveira, Sarah Margarido e Guilherme Bonates. Na banda estão Stivisson Menezes, Yago Reis e Ediel Castro. A iluminação é de Titto Silva e apoio técnico de Fernanda Seixas.

Grupo premiado

Neste ano, o Ateliê 23 venceu em duas categorias do 22º Prêmio Cenym de Teatro Nacional, da Academia de Artes no Teatro do Brasil, “Melhor Companhia” e “Melhor Figurino”, com o espetáculo “Cabaré Chinelo”. A peça, que é sucesso de crítica e público, também foi indicada como “Melhor Elenco” nesta edição.

No 17º Festival de Teatro da Amazônia, realizado em outubro, o “Cabaré Chinelo” conquistou três prêmios: “Melhor Espetáculo”, “Direção” e “Melhor Figurino”. A peça foi indicada ainda nas categorias “Melhor Atriz”, com Vivian Oliveira, “Melhor Ator” e “Trilha Sonora”, com Eric Lima.

Em 2023, a companhia também conquistou o prêmio de melhor atuação nacional no 8º Festival Internacional de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás, com o personagem Belinho, vivido por Taciano Soares no filme “A Bela é Poc”, primeiro curta do grupo.

A principal característica do Ateliê 23 é trabalhar com histórias reais, objeto da tese de Doutorado “Bionarrativas Cênicas: Dispositivos de Comoção em Obras do Ateliê 23”, defendida pelo diretor Taciano Soares na Universidade Federal da Bahia.

Temporada online

Os curtas “Ensaio de Despedida”, de 2023, e “A Bela é Poc”, 2021, estão disponíveis no Youtube (@atelie23).

“Ensaio de Despedida”, filme contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, uma das ações emergenciais da Lei Aldir Blanc, foi lançado em agosto deste ano, durante o Festival de Cinema da Amazônia – Olhar do Norte. Com 20 minutos, o projeto audiovisual é uma adaptação do espetáculo montado em 2017 a partir de uma pesquisa sobre relações líquidas e relacionamentos abusivos.

A história gira em torno de um casal que está terminando o relacionamento e, nesse momento, revivem diversas fases da relação e violências que faziam um com o outro no período que estiveram juntos.

Desde a estreia, em outubro de 2021, no Teatro Amazonas, o curta “A Bela é Poc” tem circulado por festivais, como Circuito Penedo de Cinema, em Alagoas; edição de 2022 do Festival de Cinema da Amazônia – Olhar do Norte, na capital amazonense; Shorts México, um dos maiores festivais de curtas-metragens da América Latina; e KASHISH Mumbai International Queer Film Festival, evento anual LGBT que acontece em Mumbai, na Índia. O filme, que faz parte de um projeto que inclui o clipe “Glowria” e a videodança “Azul”, participou ainda da “Expedição Cultural”, do Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e foi exibido em nove cidades do interior.

O enredo narra a trajetória de Belinho, um homem gay que tem o sonho de ser artista, mas é vítima de homofobia e violência.

Fonte: Assessoria

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...