25.3 C
Manaus
terça-feira, junho 18, 2024
Publicidade
InicioAmazonasULBRA realiza desfile de moda indígena nesta quarta (17)

Compartilhar

ULBRA realiza desfile de moda indígena nesta quarta (17)

ULBRA promove desfile de moda indígena em alusão dia dos povos originários

O evento acontece nesta quarta (17) em parceria com o Parque das Tribos.

A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA Manaus), celebrará o Dia dos Povos Indígenas por meio de atividades representativas em colaboração com o Parque das Tribos, a maior comunidade indígena do Brasil em variação de línguas e etnias. O evento acontecerá no dia 17 com horários distintos, às 19h, na Área de Convivência (Hall) da Instituição.

Assim como na edição passada, a celebração contará com um desfile de moda de uma coleção assinada pela estilista e acadêmica de Enfermagem da Ulbra Manaus, Eliza Sateré; “Essa é uma das mais belas formas que a gente encontra de mostrar um pouco da nossa cultura, moda e beleza indígena. Estamos felizes de conquistar esse espaço e poder chegar a essa visibilidade”, pontua a estilista indígena.

Além disso, o evento terá uma vasta programação com exposição e venda de artesanatos, danças indígenas, desfile de moda, número musical e um dos destaques desta celebração: um workshop com o tema “Entre Dois Mundos: Indígenas na Selva Urbana de Manaus”, conduzido pelo cacique do Parque das Tribos, Ismael Munduruku; “Esta é a segunda vez que que marcamos presença na Ulbra em prol de algo tão importante para nós do Parque das Tribos, é nesta universidade que o nosso povo, em sua grande maioria está. Agradecemos por essa parceria especial que traz ótimos resultados em questões de representatividade e visibilidade de nossa cultura. Esperamos que essa colaboração continue a fortalecer nossos laços e a promover a conscientização e oportunidades”, afirmou o Cacique.

O dia 19 de abril marca o Dia dos Povos Indígenas, uma ocasião destinada a honrar a riqueza cultural das comunidades indígenas do Brasil. Além disso, é um momento para refletir sobre os desafios enfrentados por esses povos e promover a defesa de seus direitos. O último Censo realizado no Brasil, em 2010, apontou que havia quase 900 mil indígenas no Brasil, sendo que, desse total, quase 600 mil viviam na zona rural. A diversidade cultural entre essas populações é vasta, e é crucial preservar suas tradições e modos de vida. Embora o 19 de abril seja tradicionalmente considerado uma data comemorativa, muitos grupos que lutam pelos direitos indígenas veem-na como um momento de reflexão sobre as condições enfrentadas pelos indígenas no Brasil. É uma oportunidade para aprender sobre a cultura indígena, desafiar estereótipos, apoiar a demarcação de terras e reconhecer as diversas formas de violência enfrentadas por essas comunidades em todo o país.

Segundo o Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2000 existiam 4.397 indígenas matriculados nas universidades; nas últimas duas décadas, um crescimento expressivo foi observado, chegando a 72 mil indígenas matriculados em 2019, de acordo com o Censo da Educação Superior (CenSup). A antropóloga Antonella Tassinari ressaltou que 72% dos indígenas estudam em universidades privadas, por diversos fatores, entre eles a burocracia dos funis de ingresso. Entretanto, de acordo com pesquisas realizadas pelo Centro de Inteligência Analítica, estabelecido pela entidade que representa as instituições de ensino superior no Brasil (Semesp), durante o ano de coleta de dados de 2021, aproximadamente 8,7 mil estudantes indígenas alcançaram a conclusão do ensino superior, o que equivale a apenas 0,7% do total. No mesmo período, o número de calouros indígenas era um pouco superior a 14 mil. Após analisar o período de 2011 a 2021, entre os universitários que finalizaram seus cursos e obtiveram o diploma, prevalece a presença das instituições privadas, responsáveis por 84,4% dos casos, em comparação com as instituições públicas, que representam apenas 15,6%.

A Ulbra Manaus, reconhecida como a universidade privada com a maior representação indígena no Amazonas, tem sido um exemplo de dedicação com a diversidade cultural e étnica, evidenciado pela sua expressiva comunidade acadêmica indígena. Em um esforço contínuo para reconhecer e honrar a rica história e diversidade dos povos indígenas. Para o Reitor da Instituição, Dr. Evandro Brandão, o evento é uma oportunidade de promover a compreensão e o respeito pela diversidade étnica e cultural; “Nossa comunidade se agrega aos povos originários para manter a cultura da nossa região. Logo, ressaltamos nosso compromisso contínuo da instituição com a valorização, o respeito e a preservação das culturas indígenas. A Ulbra tem a responsabilidade de realizar projetos de extensão e eventos como esse para estabelecer uma comunicação mais eficaz com essas comunidades. A partir dessa interação, buscamos proporcionar uma melhor qualidade de vida em um trabalho conjunto, comunitário e cooperativo com as comunidades indígenas do Amazonas, especialmente da cidade de Manaus, como é o caso do Parque das Tribos”, ressaltou.


Data: 17 de abril
Local: Hall da Instituição
Horário: 19h
Confira a programação:

16h: Exposição de Artesanato no CAMPUS- HALL
19h30: Abertura; 19h35: Devocional;
19h45: Hino Nacional na língua indígena;
19h50: Fala Reitor; 20h10: Dança indígena;
20h20: Desfile de moda indígena;
20h50: Workshop: “Entre Dois Mundos: Indígenas na Selva Urbana de Manaus”, com o Cacique Ismael Munduruku;
21h10: Número Musical;
21h20: Encerramento.

Com informações da assessoria

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...