25.3 C
Manaus
sexta-feira, abril 12, 2024
Publicidade
InicioBrasilTraficante confessa envolvimento na morte de lutador de MMA no RJ

Compartilhar

Traficante confessa envolvimento na morte de lutador de MMA no RJ

Na manhã desta terça-feira (16), Tauã da Silva, conhecido como 2B, foi preso sob acusação de envolvimento no assassinato de Diego Braga Nunes, lutador de MMA de 44 anos, encontrado morto na última segunda-feira (15) após tentar recuperar sua moto roubada. Tauã, de 18 anos, confessou participação no crime durante seu interrogatório pela Polícia Militar.

De acordo com informações fornecidas por Tauã, Diego teria ido ao Morro do Banco, no Itanhangá, Zona Oeste do Rio, para negociar a devolução de sua moto, mas ao ter seu telefone revistado, os criminosos identificaram contatos de milicianos de Rio das Pedras e da Muzema. Segundo Tauã, o lutador tentou fugir, mas foi capturado e morto. O suspeito, que admitiu fazer parte do tráfico de drogas, ainda mencionou que seus comparsas deixaram a favela após o assassinato.

Tauã foi encontrado em casa, na posse de drogas, e levado para a 16ª DP (Barra da Tijuca). A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) já foi informada sobre a prisão. A polícia conduz uma operação no Morro do Banco em busca dos demais envolvidos no assassinato de Diego Braga, que, segundo a investigação, pode ter sido confundido com um miliciano pelos traficantes.

Diego Braga, lutador profissional de muay thai e MMA, teve sua moto furtada na madrugada de segunda-feira por dois homens em sua casa na Muzema. Ele iniciou a busca pelo veículo após acessar imagens de uma câmera de segurança. A principal suspeita da polícia é que o lutador tenha sido confundido com um miliciano pelos traficantes locais. Diego, que se aposentou em 2019, dedicava-se à carreira de professor de artes marciais e treinador. Seu filho, Gabriel Braga, também é lutador profissional.

O Morro do Banco, assim como a Muzema, tem sido palco de disputas entre facções criminosas desde 2023, quando traficantes do Comando Vermelho assumiram o controle da região antes dominada por milicianos. As investigações continuam para esclarecer completamente as circunstâncias do crime.

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...