25.3 C
Manaus
segunda-feira, maio 27, 2024
Publicidade
InicioBrasilPF investiga ataque ao sistema de pagamento do governo

Compartilhar

PF investiga ataque ao sistema de pagamento do governo

A Polícia Federal (PF) investiga os responsáveis ​​pela interferência no sistema de folha de pagamento dos funcionários do governo federal, conhecido como Siafi.

De acordo com o portal G1 divulgado na noite da última segunda-feira, 22, os investigadores conseguiram transferir recursos que deveriam ser usados ​​para pagar salários de funcionários.

A publicação destaca que algumas transferências foram bloqueadas, embora o valor não tenha sido informado. Ainda não se sabe quais órgãos foram afetados.

O primeiro acesso ao sistema deveria ter ocorrido no dia 5 de abril, mas desde então foram registrados dois acessos adicionais. Uma investigação foi imediatamente iniciada e as autoridades investigativas apontaram que ocorreu acesso não autorizado através de dados de acesso ao servidor.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, que revelou o incidente, o governo decidiu processar o uso de certificados digitais emitidos pela empresa pública de tecnologia Cellpro para conceder acesso a sistemas de pagamento.

O invasor obteve acesso por meio de credenciais válidas da plataforma gov.br. Com isso, os criminosos tentaram fazer pedidos bancários por meio do Pix.

O Ministério da Gestão e Inovação negou a possibilidade de violação de segurança e disse em comunicado que o incidente envolveu o uso indevido de credenciais obtidas ilegalmente.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o sistema não foi comprometido, mas sustentou não saber detalhes do caso. “A informação que eu tenho é parcial, de que o problema não é do Siafi, não é do sistema. Provavelmente, foi de autenticação de acesso. Isso está sendo apurado, como alguém teve acesso tendo sido autenticado. Não foi a ação de um hacker que quebrou a segurança. É isso que a PF está apurando e está rastreando para chegar aos responsáveis”, destacou, em conversa com jornalistas.

Haddad afirmou não ter sido informado sobre eventuais valores que podem ter sido desviados e frisou que conversaria com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a respeito do assunto. “Eu não tenho essa informação, pois isso está sendo mantido em sigilo, inclusive, dos ministros. Estava entre o Tesouro e a PF. Eu fiquei sabendo no mesmo momento que vocês (jornalistas). Inclusive, vou agora informar ao presidente”, completou.

COLUNISTAS

Siga-nos

LEIA TAMBÉM

Clima esquenta na PM depois que a família do Coronel Menezes passou a mandar na corporação

Circula em grupos de policiais no WhatsApp um texto...

Comerciante que se achava dono da rua teve telhado demolido e material apreendido pela prefeitura

Um telhado construído em cima de uma rua para...